(Ferdinand), de Carlos Saldanha.
Com as vozes de John Cena, Kate McKinnon, David Tennant, Bobby Cannavale e Jeremy Sisto.
Ferdinando é um touro com um temperamento calmo e tranquilo, que prefere sentar-se embaixo de uma árvore e relaxar ao invés de correr por aí bufando e batendo cabeça com os outros. A medida que vai crescendo, ele se torna forte e grande, mas com o mesmo pensamento. Quando cinco homens vão até sua fazenda para escolher o melhor animal para touradas em Madri, Ferdinando é selecionado acidentalmente.

Nunca se falou tanto em aceitação e a luta para que cada pessoa seja aceita como é, nunca foi tão relevante.

O novo filme de Carlos Saldanha explora justamente um personagem que foge completamente do estereótipo em que se enquadra, tendo que encarar uma jornada de volta para casa depois, de um acidente fazer com que fosse confundido com um touro feroz, e tem conquistado espectadores ao redor do mundo.

Mas o Enorme e a principio assustador Touro, que no fundo é dócil, amoroso e simpático, já circula por aí há algum tempo.

O filme é inspirado na obra “The Story of Ferdinand”, de Munro Leaf, ilustrado por Robert Lawson, renomado e premiado autor de livros infantis, e não é a primeira vez que o amigável tourinho chega aos cinemas. O livro, publicado pela primeira vez em 1936, é até hoje um sucesso, sendo um dos clássicos da literatura infantil norte-americana. Poucos anos depois de lançado recebeu uma versão cinematográfica da Disney, um curta, que ganhou o Oscar de melhor curta de animação em 1939. E isso tudo, curiosamente, sem que o autor jamais tivesse pisado na Espanha.

O lançamento do curta teve bastante repercussão em diversos lugares do mundo. É até hoje o filme de natal, mais assistido na Noruega; Enquanto na Ásia foi celebrado por sua áurea pacifista; No Brasil o filme ficou bastante conhecido por suas exibições nos cinemas de bairro na década de 60, mas causou polêmica e chegou a ser banido, na Espanha, por ter sido considerado liberal demais. O que será que diriam então da nova versão da história?

Apesar de todas essas referências, Carlos Saldanha, optou por um caminho totalmente próprio. Ele ampliou o universo do livro, mas tentando ser o mais fiel o possível, principalmente, no que diz respeito ao sentimento.

O diretor, diferentemente do autor do texto original, não só foi a Espanha, como fez o trajeto percorrido pelos personagens, usando inclusive imagens da viagem para compor quadros do filme.

Em termos de tecnologia, Ferdinando, é a primeira animação da Bluesky foxfilms em que eles utilizam em grande escala a radiosidade, que é uma técnica de animação, que apesar de antiga, acabe sendo menos usada pela sua complexidade, e interfere na maneira como a luz se comporta nas cenas, dando efeitos muito mais naturais de interação entre os elementos cênicos.

Visualmente, O filme é incrível e os detalhes dos cenários, profundidade e personagens estão muito bem compostos dando ao filme um aspecto bonito, colorido e muito harmonioso.

A história, que segundo Saldanha, é sempre seu maior desafio, é simplesmente encantadora e envolvente, fazendo com que nos identifiquemos e torçamos pelos personagens o tempo todo. O personagem Ferdinando é adorável, com olhos repletos de sentimentos, capazes de fazer com que o público se encha de empatia e se conecte com ele, o primeiro ato é muito bem construído e a parte do filme que conta a relação do touro com Nina é delicada e de encher o coração fazendo com que rapidamente o público torça, chore e ria com ele e suas aventuras.

E fácil se relacionar com a dor de Ferdinando, por ser diferente daquilo que esperam dele. E a temática que usa a animação para tratar de assuntos profundos e delicados, tão em alta na nossa sociedade atual, são um enorme acerto. Nada precisa ser dito para que se entenda o seu sofrimento e suas questões. O filme é capaz de nos transmitir emoção fortes apenas com o olhar de seus personagens.

Outro ponto positivo é o desenvolvimento dos demais personagens que acompanham o Touro em sua aventura de volta para casa, São todos muito bem desenvolvidos e com suas próprias histórias, fazendo que a história possua ainda mais camadas, já que todos são extremamente adoráveis.

Touro Ferdinando é um filme para toda a família, que vai te fazer rir e chorar e, definitivamente, também vai nos fazer pensar sobre suas questões muito tempo depois do fim de sua exibição.

Patricia Costa

btn_donateCC_LG

Anúncios