O Cinema tem uma particularidade muito engraçada, em vários casos, uma boa idéia pode se transformar em algo muito, mas muito ruim. Concordo que isso pode soar bem estranho e incoerente, mas como falei, só o cinema é capaz disso. Vou dar um belo exemplo agora:

Preparados, então vamos juntos.

Em 2008 fomos apresentados à um belo exemplar de suspense/terror no estilo ‘’Home Invasion’’; Os Estranhos tinha um roteiro bem simples, porém com sequencias de tirar o fôlego e bem sufocantes.  O filme contava ainda com uma boa direção e, a cereja do bolo, Liv Tyler como protagonista. Vou ser sincero com vocês, caros ouvintes, eu achava que uma continuação viria em poucos anos. Porém, após 10 anos e, praticamente sem fazer nenhum alarde, Os Estranhos – Caçada Noturna chega aos cinemas e, pra falar a verdade, era melhor nem ter sido feito.

Não dando a mínima para o filme original, esse poderia passar antes ou após, já que a única referencia é a caminhonete e as mascaras usadas. O diretor Johannes Roberts rasga a cartilha e a originalidade do filme de 2008 e segue a convenção clássica dos Slasher Movies dos anos 80 e já de cara nos apresenta um belo clichê como historia. Uma família vai visitar os tios em um ‘’Crystal Lake’’ genérico e é atacada por 3 psicopatas sinistros.

Bom, a partir daí nada de novo, nenhum sopro de originalidade. O que se vê aqui são as mesmas sequencias de gritos histéricos, os desesperados pela vida correndo muito e os psicopatas do ‘’além túmulo’’ só andando atrás e chegando sempre com horas de antecedência.

O filme flutua tranquilamente no ‘’Terrir’’ dadas as sequências risíveis que nos são  apresentadas. Tudo isso poderia ser relevado se o bendito roteiro se importasse com coisas básicas como, por exemplo, dar um backgroud para a nossa ‘’querida’’ família, e não deixando cada mortes como mais uma… e vida que segue.

Os Estranhos – Caçada Noturna também perde a chance de nos levar a conhecer um pouco a mente dos assassinos. Entendo que mente de psicopata, muitas vezes, não dá pra ser entendida, mas estamos falando de uma obra de ficção, então isso seria uma bela forma de entramos mais em suas origens, já que no filme, assim como no original, uma das protagonistas desesperada fala “Porque estão fazendo isso conosco’’ e a resposta é “E porque não??????’’

Com um cast de atores que não compromete mas que não tem relevância nenhuma, esse novo filme sem total sombra de duvidas vai passar despercebidos pelo cinema, e me arrisco a dizer que escrevendo essa resenha, ele já tenha sido lançado em home vídeo.

Marcelo Perelo

btn_donateCC_LG

Anúncios