MOSTRA 2019: Novo filme de Ricardo Darín traz leveza à crise.

Sebastián Borensztein começou ou terminou todas as respostas que deu (em ótimo português) durante o debate promovido pela Mostra 2019 desta última terça 29, com um “obrigado”.

O tema era seu novo filme A Odisseia dos Tontos (La Odisea De Los Giles, 2019), que entra em cartaz nesta quinta no circuito brasileiro. O motivo dos agradecimentos, além de sua imensa simpatia e gentileza, se deve as diversas ovações de aplausos que ele e o filme ganharam no final da sessão.

Recebido com muito sucesso na Argentina, o filme sempre foi uma incógnita até mesmo para o diretor, que deixou claro saber da dificuldade dos sul-americanos em sair de casa e pagar um valor nem sempre barato dos ingressos, em meio as incertezas econômicas e políticas da atualidade:

Começamos a desenvolver esse filme em 2016. Três dias antes da estreia (na Argentina), tudo explodiu. As datas de estreia de um filme são decididas muito tempo antes. Pensamos que ninguém iria querer sair de sua casa e ir ao cinema, ninguém iria querer comprar ingresso. Preferiam guardar o dinheiro, mas foi o oposto. O filme acabou sendo uma catarse muito grande para as pessoas. 

A curiosidade e o interesse do público não se resume somente à um elenco afinadíssimo e uma direção certeira. Assim como seus filmes anteriores, Um Conto Chinês (2011) e Kóblic (2016) – que também são estrelados por Ricardo Darín e tiveram muito sucesso no circuito nacional – a nova produção dialoga com uma realidade muito presente nas vidas dos brasileiros, sem deixar de flertar com a fantasia e paródia social.

Este filme é uma fabula. Pessoas como essas do filme nunca ganham, sempre perdem. Não são os bons tão bons, nem são os maus tão maus. O filme faz um tipo de justiça cinematográfica.

A tal justiça é o que um grupo de moradores de uma pequena cidade rural da Argentina quer após o colapso econômico de 2011. Depois de ver todo o seu dinheiro confiscado e roubado por um advogado, eles elaboram um plano para reaver o que lhes foi tirado e começar uma nova vida. Tudo com muito bom humor e um toque singelo de emoção. 

Produções argentinas há tempos caíram no gosto do público brasileiro. Odisseia não foge da formula dos diálogos inspirados, atuações pungentes e situações divertidíssimas. Darín, como sempre, é o fio condutor de toda a trama e o grande chamariz do público. Borensztein comentou como é trabalhar com o ator:

É exatamente como você acha que é. É um prazer, uma alegria. Um cara muito próximo, é um amigo pessoal. Fizemos três filmes juntos já. Seu filho está no filme também (Chino Darín vive seu filho na ficção também). Foi uma filmagem muito familiar.

Sucesso absoluto, a produção foi selecionada para representar a Argentina numa possível indicação ao Oscar. A leveza e contemporaneidade do tema podem ser o apelo necessário para convencer os norte-americanos a colocar o filme na disputa. Nada porém poderá esclarecer a grande dúvida que ainda permeia a cabeça dos realizadores:

Não sei quanto custou o filme e vou te dizer porquê. Quando a gente começou a trabalhar o dólar na Argentina era de $32 pesos. Quando acabamos a filmagem já era $40. Quando acabamos a montagem já estava em $48 pesos, e quando o filme estreou já estava em $55. Agora, o filme ainda está nos cinemas da Argentina e o dólar está em $68. Se você me perguntar quantos pesos custou esse filme, ninguém sabe. Porque essa é nossa tragédia!

Tragédia que compartilhamos do lado de cá da fronteira em nossa história, assim como, cada dia mais em nossa realidade cotidiana. Ainda bem que existe o cinema e filmes como A Odisseia dos Tontos para nos garantir diversão e risos de vez em quando. Ainda bem que alguns poucos conseguem esquecer, mesmo que por um breve momento, suas tristes realidades e lembrar que a vida, assim como na ficção, sempre reserva um pingo de esperança, mesmo para os tontos.        

Quem agradece somos nós, Sebastián. Obrigado!

Marcelo Cypreste

Confira a crítica do filme amanhã aqui no site.
Aguarde a cobertura final de outros filmes da 43a Mostra Internacional de Cinema no Ratos de Cinema até o encerramento do evento, dia 30/10.