O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

Assine RATOS

(Terminator: Dark Fate, 2019), De Tim Miller. Com Linda Hamilton, Arnold Schwarzenegger, Mackenzie Davis, Gabriel Luna, Natalia Reyes, Diego Boneta e Edward Furlong.

Chega ser engraçado o quanto Hollywood tem a grande maioria do publico na mão e, por isso, consegue da maneira mais simples e sorrateira, lançar projetos sepultados pela crítica e pelo público, mas que carregam uma força gigante nos corações dos espectadores. O filme em questão é um grande exemplo disso.

Quem curte o mínimo de cultura pop já deve ter visto ou ouvido falar da franquia O Exterminador do Futuro, que teve seu inicio na década de 80, mas que teve seu apogeu para o mundo em 91 onde para muitos (e eu me incluo nisso) tem em Terminator 2 um dos maiores filme de ação de todos os tempos, com uma história envolvente, efeitos visuais incríveis e revolucionários, colocando Arnold Schwarzenegger literalmente no auge da carreira. Todo esse universo fantástico é liderado por James Cameron, que de forma brilhante, faz o fechamento desse incrível universo.

Porém a situação da franquia cai em descrédito total com uma serie de filmes caça-níqueis que ninguém tinha pedido em 2003, 2009, 2015. Agora lembra o que falei no inicio sobre Hollywood nos ter na mão? Bastou uma noticia de um novo Terminator – com a produção de seu progenitor James Cameron e com as voltas dos ícones Arnold e Linda Hamilton – para o mundo novamente ficar com uma grande expectativa.

O resultado? Mais uma bola fora.

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio já começa nos fazendo de trouxa, onde toda ordem cronologia do terceiro ao quinto filme não existe. Ou seja, esqueça tudo que você viu! Aqui temos uma sequência direta do segundo filme e já adianto que a historia virou um ‘’samba do crioulo doido’’, onde a preguiça de James Cameron e sua arrogância é tão grande que fez o diretor Tim Miller ser um mero fantoche. E pior, levarmos mais de 25 anos para vermos uma copia piorada de Terminator 2.

Isso mesmo amigos, esse filme tem o enredo e estrutura muito parecida, para não se dizer idêntica ao filme de 91, principalmente nas cenas de ação; tem a cena do caminhão, do helicóptero, a vinda de dois exterminadores do futuro um para matar e outro para defender uma menina, tudo isso amparado em sequencias mal editadas, e com efeitos visuais bem questionáveis.

Tem algo que se salva nesse filme? Muito pouco!

O filme tem seus momentos, boa parte amparado nos atores – a volta de Hamilton como Sarah Connor é interessante, a belíssima Mackenzie Davis é uma grata surpresa e a atriz Natalia Reyes da muita veracidade ao papel – mesmo com um roteiro beirando ao absurdo.

Ah, e nosso querido Arnoldão? T-800 esta de volta depois de mais de 1 hora de filme e da forma mais absurda. Em que momento da franquia se explica a ideia de uma maquina ultrapassada ficar velha? Com pele envelhecida e cabelos brancos? Lamentável.

O Exterminador do Futuro – Destino Sombrio achou que poderia revitalizar a falecida franquia trazendo James Cameron e os atores principais, mas só esqueceram de avisar que era um filme, não uma palhaçada.

Marcelo Perelo

Curta nossa página no Facebook, Youtube, Twitter e Instagram e participe! Deixe sua opinião sobre o filme neste post ou nos mande um e-mail dizendo se concorda ou discorda da gente, deixando sua sugestão ou crítica: contato@ratosdecinema.com.

catarse LOGO

Patreon_LOGO