Oscar 2020: Curtas Documentário

Os curtas de documentário indicados ao Oscar 2020 são filmes muito diferentes em tons e propostas, mas todos eles falam de traumas e acontecimentos que mudaram drasticamente o futuro de diferentes famílias em partes distintas do mundo.

Desde já quero esclarecer que não consegui ter acesso a um dos filmes (St. Louis Superman), portanto o texto será somente sobre os outros quatro indicados.

In the absence – Coréia do Sul / Estados Unidos

(Legendas em inglês)

O filme mostra um acidente com uma embarcação que levava 476 pessoas, sua maioria estudantes, para um passeio a uma ilha distante de Seoul e o catastrófico resgate da guarda costeira sul coreana. Por problemas de comunicação e alguns outros difíceis de acreditar, a situação aparentemente simples, foge do controle matando a maioria dos tripulantes.

O filme faz uso de imagens e audios dos tripulantes e das equipes de resgate, para mostrar o caos de toda a situação e como erros em todas etapas do sistema permitiram que uma catástrofe como essa ocorresse.

Um acidente triste, revoltante, que mudou a história da Coreia do Sul.

Learning to Skateboard in a warzone (If you’re a girl) – Reino Unido

No Afeganistão, as mulheres são excluídas da educação e tradicionalmente se casam muito cedo, se tornando dependentes de seus maridos. O filme narra a história de um projeto (que vêm crescendo desde a queda do Talibam) que leva educação para meninas pobres e usa aulas de skate como forma de levantar a coragem e a auto estima de meninas que são reprimidas desde a infância.

Um filme que trata de temas pesados, mas que têm nas descobertas de meninas momentos mágicos. A própria imagem das meninas com seus corpos praticamente todo coberto praticando skate, já traz um contraste  de mundos muito interessante.

Obs: Esse curta levou o prêmio da academia.

A vida em mim – Suécia/Estados Unidos

Disponível na Netflix

O filme retrata o número crescente de crianças refugiadas na Suécia que passam a sofrer da síndrome de resignação. Basicamente a criança para de falar, de comer, beber e entra em uma espécie de coma auto imposto, como defesa para fugir da tensão, da  possibilidade de retornar para seu país de origem.

A síndrome não tem uma causa física, a única relação é que são crianças saudáveis que passaram por um grande trauma e vivem o constante risco de ter de retornar para o local onde viveram a experiência traumática.

O filme relata a história de três famílias e mostra como o crescimento do movimento contra os refugiados vêm agravando e aumentando o número de crianças com essa síndrome. 

Walk Run Cha Cha – Estados Unidos 

 O filme conta a história de um casal de Vietnamitas, que se conheceram no seu país natal e anos depois conseguiram (com uma diferença de cinco anos) migrar para os Estados Unidos. Isso aconteceu em 1984. Hoje, após os filhos saírem de casa, eles adotaram a dança como forma de se manterem ativos e de se expressarem já na terceira idade.

A verdade é que não faz o menor sentido esse filme estar entre os finalistas ao Oscar. É um filme que não tem muito a dizer, nem a história deles é muito interessante e por mais que as cenas de dança sejam bacanas, o filme não se sustenta.

Curta nossa página no Facebook, Youtube, Twitter e Instagram e participe! Deixe sua opinião sobre os filmes neste post ou nos mande um e-mail dizendo quais suas expectativas de 2020. Não esqueça de deixar sua sugestão ou crítica: contato@ratosdecinema.com.

Confira nosso review completo do Oscar 2020:

Assine nosso canal e tenha benefícios exclusivos!

catarse LOGO
Patreon_LOGO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s