10 Filmes para assistir no Dia Internacional da Mulher

ALIEN – O 8o PASSAGEIRO (1979)

A tripulação de uma nava espacial começa a ser caçada por uma criatura alienígena misteriosa. O primeiro dos grandes filmes de ficção e terror a mostrar mulheres fortes contra forças indestrutíveis da natureza. O mais interessante, porém, é procurar assistir o filme como uma jornada de crescimento pessoa de Ellen Ripley, que começa o filme como mera coadjuvante e pouco a pouco se torna a única esperança entre a criatura e o planeta terra.

ERIN BROCKOVICH (2000) – Netflix

Uma mãe solteira se torna assistente legal e começa a investigar sozinha uma empresa responsável por poluir a água de uma pequena cidade na Califórnia. O filme que deu o Oscar de Melhor Atriz para Julia Roberts não é apenas mais uma história real de Davi e Golias. Steven Soderbergh eleva o sentido de urgência da trama e transforma a personagem/mulher da vida real em um ser humano repleto de falhas e defeitos, mas também uma obstinação que nos faz refletir sobre nossas próprias limitações.

NUNCA MAIS (2002) – Netflix

Slim Hiller (Jennifer Lopez) foge com a filha ao perceber que o marido não é o homem maravilhoso que imaginava, mas ele as persegue implacavelmente. A história que infelizmente se repete com frequência em lares pelo mundo ganha contornos diferentes quando a protagonista resolve revidar e descer a mão no marido abusivo. Nunca uma porrada foi tão merecida.

GRAVIDADE (2013) – Netflix

Depois que escombros destroem sua nave, uma engenheira biomédica e um astronauta experiente se veem flutuando no espaço, sem conexão com a Terra. Sim, esta é uma história de sobrevivência como poucas. Tensão, medo e superação são alguns dos ingredientes deste trabalho sensacional de ficção, que tem efeitos maravilhosos, mas seriam um desperdício se não fosse a excelente atuação física e mental de Sandra Bullock.

O QUARTO DE JACK (2015) – Netflix

Uma jovem e seu filho convivem confinados em um quarto minusculo até que o menino completa cinco anos, quando decidem planejar sua fuga. O filme que deu o merecido Oscar de Atriz para Brie Larson é surpreendente em diversas formas. Fala sobre fragilidade, superação e depressão de uma maneira que poucas vezes assistimos no cinema. Mas também é um dos melhores filmes dos últimos anos sobre a força de uma mãe para dar à seu filho a chance de ter uma infância.

Deixe sua opinião sobre os filmes neste post ou nos mande um e-mail dizendo se concorda ou discorda da gente, deixando sua sugestão ou crítica: contato@ratosdecinema.com.

HUSH (2016) – Netflix

A escritora Maddie (Kate Siegel) é surda e prefere a solidão de sua isolada residencia. Quando um homem mascarado surge em sua janela, serão desvantagens a superar em tempo recorde. Ou será que não? O conceito elaborado por Mike Flanagan (um dos diretores mais promissores do gênero da atualidade) juntamente com sua esposa e atriz é no mínimo curioso e te fará pensar sobre quem é o gato e o rato da situação. Fora que também é um dos poucos filmes de terror e suspense de qualidade que você vai encontrar por ai.

SALT (2010) – Netflix

Acusada de ser espiã russa, a agente da CIA Evelyn Salt vira uma fugitiva, usando todas as táticas que conhece para tentar provar sua inocência. Muita ação e cenas improváveis, mas diversão garantida graças ao trabalho seguro de Phillip Noyce (Jogos Patrióticos), que mantem o suspense até o final, e claro, Angelina Jolie, no auge da carreira, fazendo o que poucos filmes de ação (não importa quem protagonize) são capazes; nos convencer que aquela pessoa realmente é capaz de quebrar a cara dos antagonistas.

LADY BIRD: A HORA DE VOAR (2018)

Lady Bird é o apelido de Christine (Saoirse Ronan), uma jovem de forte personalidade que se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com sua mãe. Existe algo neste filme para qualquer pessoa pois a jornada da protagonista é obrigatória para todos os adolescentes, não importa a origem e criação. Mais do que isso, o primeiro trabalho da diretor Greta Gerwig tem subtramas que surgem e se conectam de forma natural e uma conclusão mais que satisfatória. Uma estreia mais que perfeita para a diretora. Confira nossa crítica do filme.

CAPITÃ MARVEL (2019) – Amazon Prime Video

Carol Danvers se torna um dos super-heróis mais poderosos da terra ao descobrir o segredo sobre seu passado, em meio à uma guerra entre duas raças alienígenas. Ok, o filme não é o melhor exemplo do gênero e está longe de ser o favorito dos fãs da Marvel. Mas a personagem em si é repleta de momentos fortes e surpreendentemente divertidos (principalmente aqueles que envolvem um certo gatinho). Se você procura por diversão e uma super-heroína bad-ass de verdade, não pode perder este aqui. Confira nossa crítica do filme.

O HOMEM INVISÍVEL (2020) – Em cartaz nos cinemas

Quando o ex abusivo de Cecilia (Elisabeth Moss) tira a própria vida e deixa sua fortuna, ela suspeita que a morte dele tenha sido uma farsa. Como uma série de coincidências se torna letal, Cecilia trabalha para provar que está sendo caçada por alguém que ninguém pode ver. Apesar do título, a grande força que move a produção é definitivamente a atuação de Elizabeth Moss. A grande sacada do diretor Leigh Whannell é criar uma fantasia absurda em cima de uma situação tão traumática quanto o abuso que a personagem passa. É original, é atual e é surpreendente como um bom suspense deve ser. Confira nossa crítica do filme.

Marcelo Cypreste

Assine nosso canal e tenha benefícios exclusivos!

catarse LOGO
Patreon_LOGO

Além disso, não deixe de curtir nossa página no Facebook, Youtube, Twitter e Instagram e participar!