Luta por Justiça

(Just Mercy, 2020), de Destin Daniel Cretton. Com Michael B. Jordan, Jamie Foxx, Brie Larson, Lindsay Ayliffe, O’Shea Jackson Jr., C. J. LeBlanc, Ron Clinton Smith e Tim Black Nelson.

A discussão sobre a questão da pena de morte nos  Estados Unidos e suas particularidades que variam entre cada estado, é  um assunto amplamente debatido na sociedade estadunidense desde sempre e continuará sendo. É um tema recorrente que volta e meia volta aos cinemas e a outros tipos de arte. 

Luta por Justiça é um drama de tribunal que traz essa discussão em seu cerne, mas levanta a questão do racismo sistêmico como ponto principal, criando uma narrativa que debate e denúncia histórias de pessoas que independentes de seus crimes, acabam sendo vítimas de um sistema que age de acordo com seus interesses e não de acordo com suas leis.  

Baseado no livro escrito por Bryan Stevenson, o filme usa a figura do hoje famoso advogado e ativista da justiça social para contar um de seus primeiros e mais famosos casos. Recém formado em Harvard, Stevenson (Michael B. Jordan) segue um caminho pouco convencional, ao sair de uma das maiores universidades do mundo e montar um escritório voltado para estudar e defender casos de presos pobres e em sua maioria negros, que tiveram julgamentos rápidos ou marcados por elementos inconsistentes. 

A história se passa no Alabama, Estado sulista com forte histórico de segregação racial e traz como caso principal a história de Walter McMillian (Jamie Foxx), um trabalhador negro que é condenado a pena de morte pelo assassinato de uma jovem branca.

Já apontando a inocência do condenado desde o começo, o filme trabalha o início de trabalho de Stevenson com os condenados a cadeira elétrica e aponta o descrédito daqueles homens com qualquer um que surja na intenção de ajudá-los. Descrédito que é justificado posteriormente, conforme o filme apresenta um pouco dos casos de cada um dos envolvidos.

A obra é bem convencional como filme de tribunal, é focado nas boas atuações de Jordan e Foxx e acerta ao não pesar a mão no drama. O filme trabalha as questões revoltantes que surgem devido a investigação do protagonista e nesse ponto a pena de morte acaba ficando em segundo plano, quando o filme foca no racismo de todo o sistema judiciário do Estado, quando Stevenson  apresenta provas absurdas contra a condenação de McMillian e mesmo assim vê o processo seguir inalterado. 

A direção de Destin Daniel Cretton (O Castelo de Vidro) é bem burocrática. Se não descamba para o sentimentalismo, também não consegue emocionar. Muito dos sentimentos que afloram no espectador é da natureza da história em si e o fato dela ter sido baseada em um caso real, torna tudo mais pesado. 

O filme também tem problemas de ritmo, Cretton não consegue trabalhar uma dinâmica crescente, tão comum nesse tipo de obra. A cena final no tribunal não têm a tensão necessária, soando muito fria, quando deveria ser o ápice emocional da obra. 

No elenco, Michael B. Jordan mostra mais uma vez suas qualidades e impressiona como o ator consegue ser tão expressivo em momentos sem diálogos, compreendemos perfeitamente suas emoções apenas pelas suas reações físicas. Jamie Foxx se mostra uma escolha de elenco muito acertada, pois o ator traz um peso e uma sensação de credibilidade fundamentais para o personagem.

Alguns dos melhores momentos do filme trazem o ator com seus companheiros de corredor da morte. Fechando o elenco Brie Larson (O Quarto de Jack) surge como Eva Ansley, a grande parceira de Stevenson, uma personagem importante, mas pouco explorada pelo roteiro e que também é prejudicada pela atuação fria de Larson.

Abordando temas importantes e sempre atuais, Luta por Justiça é um filme convencional que se salva pela relevância de sua temática e pelas atuações de sua dupla de atores principais. Um filme com muito a dizer mas que padece de um roteiro e uma direção irregulares. Ao menos funciona para apresentar a figura de Bryan Stevenson, um homem importante, que até hoje segue na luta da causa. 

Felipe Fernandes

Deixe sua opinião sobre o filme neste post ou nos mande um e-mail dizendo se concorda ou discorda da gente, deixando sua sugestão ou crítica: contato@ratosdecinema.com.

Assine nosso canal e tenha benefícios exclusivos!

catarse LOGO
Patreon_LOGO

Além disso, não deixe de curtir nossa página no Facebook, Youtube, Twitter e Instagram e participar!