A Mulher, o Canibal e os Inocentes.

Hoje o Ratos de cinema traz uma matéria especial abordando alguns detalhes de um clássico que completa 30 anos de seu lançamento.

O Silêncio dos Inocentes

Baseado no livro de Thomas Harris, o filme é na teoria uma continuação, mas que traz um elenco totalmente novo e funciona como uma obra sozinha. Foi o terceiro e último filme na história a ganhar os cinco principais prêmios do Oscar, entrou pro hall de clássicos do cinema, introduzindo aquele que se tornou um dos maiores vilões do cinema, o doutor Hannibal Lecter, imortalizado por Anthony Hopkins

Na matéria de hoje, vou analisar três cenas, as introduções de Clarice Sterling, interpretada com brilhantismo por Jodie Foster, a introdução de Lecter e o último encontro entre os dois principais personagens do filme.

Clarice Starling

Clarice Starling /Jodie Foster (The Silence of the Lambs) | Iconic movie  characters, Jodie foster, Iconic movies

O filme abre com Clarice (Jodie Foster) se exercitando sozinha em um campo de treinamento do FBI. Ela corre, passa por obstáculos, atividades normalmente retratadas no cinema sendo feita por homens e geralmente em grupos.

Ela então é chamada para a sala de Crawford e sem perder tempo, segue no estado em que se encontra. Clarice é uma mulher perseverante e dedicada, trabalha sob desconfiança em um universo majoritariamente masculino (um dos temas do filme), em que as mulheres ou são vistas com desconfiança ou com apelo sexual. 

Notem que ao seguir para a sala de Crawford, o prédio é praticamente todo habitado por homens, a cena do elevador é mais emblemática e direta, Clarice entra em um elevador onde estão vários homens, que não por acaso estão todos vestidos de vermelho (cor que remete ao perigo), ela se posta no meio deles, sendo razoavelmente mais baixa. Na cena seguinte, as portas do elevador se abrem e ela está sozinha, mais uma mensagem do filme de que ela é destemida e está disposta a ir onde os homens não têm conseguido seguir.  

Em sua conversa com Crowford, ele a parabeniza e diz ter dado um dez para o trabalho dela, ela o corrige, a nota foi 9,5. Uma maneira sutil do roteiro de Ted Tally deixar claro que por mais que Crowford veja em Clarice grandes qualidades, ele ainda têm uma certa desconfiança e o fato dele enviar ela para lidar com Lecter é mais um ato de desespero, buscando surpreender o doutor, do que única e  exclusivamente pelas qualidades da agente.

Hannibal Lecter

O Silêncio dos Inocentes | Explicamos o final do filme

Me impressiona como mesmo após ter assistido ao filme mais de uma vez, a cena em que Clarice (e consequentemente o espectador) é apresentado ao Hannibal Lecter de Anthony Hopkins ainda consegue me causar expectativa. A forma como o diretor Jonathan Demme filma toda a sequência é perfeita na criação dessa sensação.

Após ela ser advertida por Crowford, Chilton e pelo guarda Barney, o espectador, assim como a personagem é introduzido ao corredor, que mais parece uma masmorra e ao fundo uma luz vermelha indicando o perigo iminente naquele lugar.

Demme filma a cena do ponto de vista da protagonista, intercalando com a cena dela caminhnado pelo corredor, em um plano fechado no rosto da atriz. Ela caminha assustada, tal qual um cordeiro a caminho do abate, que não sabe o que o espera, mas sente o perigo.

Após passar por todos os presos da ala, Clarice chega a cela do canibal e diferente das outras celas, mais escuras e separados por uma grade, a própria cela de Hannibal é diferente. Separada por uma grossa camada de vidro, que ao mesmo tempo separa completamente o preso da parte exterior, visualmente causa a sensação de que não existe uma proteção de Lecter. Assim como a imagem  do doutor quebra a expectativa. Clarice encontra um homem esguio, de postura, com cabelos arrumados que a recebe com educação e tranquilidade.

Ao pedir uma identificação de Clarice, Lecter pede para que ela se aproxime e Lecter caminha em direção a câmera tendo então seu rosto plenamente iluminado, com seus olhos azuis, vidrados, estudando com interesse a jovem que acaba de chegar a sua cela. O primeiro encontro entre ele é um intenso jogo psicológico, Lecter fica claramente interessado em Clarice, não sexualmente, mas pela pessoa dela, mas se sente ultrajado por Crowford ter enviado uma estagiaria para lidar com ele.

Ao final da cena intensa, Lecter dispensa Clarice, mas um incidente com outro preso deixa Lecter ultrajado e ele resolve dar uma oportunidade para Clarice, uma relação que não começa bem, mas ganha continuidade no imponderável e na curiosidade de Lecter.

Cobiça e Cordeiros

Evil Eyes: Breaking the Fourth Wall in SILENCE OF THE LAMBS | Reel Club

O último encontro entre Clarice e Lecter acontece já na cela em que o doutor está preso após ser transferido. Clarice chega com os desenhos do doutor, uma clara tentativa de agradar e logo o jogo psicológico entre eles é retomado, tal qual uma partida de xadrez em que o tabuleiro foi deixado com as peças em suas devidas posições.

Essa é a cena chave do filme, onde Lecter esclarece o elemento fundamental da natureza de Buffalo Bill (que no fim das contas será a peça que vai levar Clarice até o assassino).

Esse elemento é a cobiça, Bufalo Bill (Ted Levine) quer se transformar em mulher, ele cobiça as mulheres que fazem parte de sua rotina, ele quer ser como elas e pra isso ele as sequestra e as mata arrancando pedaços de sua pele, na intenção de criar uma roupa formada por pele feminina para si. É a transformação da lagarta em borboleta, outra metáfora clara dentro do filme.

É também nessa cena que Lecter consegue entender de fato Clarice (situação que remete ao título do filme), conseguindo assim o que seria o cheque mate dentro do jogo entre eles.

Nessa sequência. Demme filma sempre os dois com as barras entre eles, mas conforme a cena vai se intensificando, os planos vão ficando cada vez mais fechados, as barras vão ficando fora de foco, até saírem completamente da imagem, é quando Lecter consegue de fato entrar no psicológico de Clarice, deixando de lado qualquer proteção.

Notem como Demme filma o rosto de Lecter ocupando toda a tela, mas com uma leve inclinação, fazendo com que Lecter esteja um pouco acima, como um predador sobre sua presa, já Clarice também tem o rosto ocupando toda a tela, mas com um leve inclinação para baixo, o suficiente para mantê-la em uma posição de inferioridade. Uma cena intensa, que termina com Lecter satisfeito, agradecendo Clarice por aquele momento.

Após o silêncio

Após o grande sucesso do filme, a obra de Harris ganhou continuação, prequel, virou série de tv abordando o passado de Lecter e agora ganha uma segunda série, abordando a personagem Clarice após os eventos do filme. Para os fãs dos personagens que têm interesse na série, é uma ótima desculpa para revisitar esse clássico incontestável da sétima arte.  

Disponível: Apple TV e Telecine play

Felipe Fernandes

Deixe sua opinião sobre os filmes neste post ou nos mande um e-mail dizendo se concorda ou discorda da gente, deixando sua sugestão ou crítica: contato@ratosdecinema.com.

Assine nosso canal e tenha benefícios exclusivos!

catarse LOGO

Além disso, não deixe de curtir nossa página no Facebook, Youtube, Twitter e Instagram e participar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s